Clipping
CLIPPING
 

As matérias e artigos a respeito de escolha profissional e profissões ficam disponíveis durante o mês corrente. 

Voltar

Nova pagina 8

UOL EDUCAÇÃO, https://vestibular.brasilescola.uol.com.br/estudar-no-exterior/as-vantagens-desvantagens-ter-amigos-brasileiros-enquanto-estuda.htm, 18/04/2018 – SÃO PAULO, SP

As vantagens e desvantagens de ter amigos brasileiros enquanto estuda no exterior

POR HOTCOURSES BRASIL 

Com certeza você já ouviu alguém dizer que queria distância dos brasileiros durante o intercâmbio. Também já deve ter conhecido alguém que só conviveu com conterrâneos no exterior. Como tudo na vida, o que é demais faz mal, independente do lado. Neste contexto, a máxima não deixa de ser verdadeira: é importante encontrar um equilíbrio na hora de conviver com outras pessoas durante os estudos no exterior para aproveitar ao máximo a experiência.

Por isso, antes de tirar conclusões precipitadas, nós criamos uma série de tópicos para explicar as principais vantagens e desvantagens de ter amigos brasileiros enquanto você estuda em outro país.

Vantagem: família longe de casa

Uma das sensações mais marcantes em quem vive no exterior é a saudade – esta palavra tão bonita que só existe no português, mas que pode ser dolorida quando você está longe de pais, irmãos, namorado/a e amigos. A situação faz com que os brasileiros naturalmente se atraiam no exterior, pelo seu jeito similar de ser acolhedor, alegre e festeiro.

Mas não é só isso. Pessoas do mesmo país, obviamente, tem costumes, hábitos e cultura semelhantes, o que passa aquela sensação boa de segurança, de “estar em casa”. É por isso que ter amigos brasileiros é tão reconfortante em um ambiente onde absolutamente tudo é novo e diferente. É muito possível que os amigos conterrâneos que você conhecer vão se tornar a sua família durante a sua estadia e vocês vão manter o contato pela vida toda, independentemente de onde estiverem.

Ter a quem recorrer em qualquer sentido – mesmo emocionalmente, quando a saudade e as dúvidas inevitáveis batem forte – é essencial para um intercâmbio bem vivido. E a distância de casa faz com a amizade no exterior se fortifique com rapidez e intensidade.

Por experiência pessoal, eu fiz amizades com meninas brasileiras de todas as partes do Brasil durante o meu intercâmbio como au pair nos Estados e elas, com absoluta certeza, foram a minha família no exterior. Atualmente, sete anos após o meu retorno, ainda mantemos contato e eu já fui visitá-las em São Paulo, Goiás, Rio de Janeiro e Santa Catarina.

Desvantagem: o atraso na proficiência no idioma estrangeiro

Provavelmente, este é o argumento principal de quem diz que não quer ter contato constante com brasileiros no exterior. E, infelizmente, ele é válido. Quando você convive apenas com pessoas que falam a sua língua nativa, a facilidade e familiaridade de conversar no idioma conhecido reinam e isso pode, sim, atrasar o seu desenvolvimento no idioma estrangeiro, seja ele qual for.

É importante impor certos limites ou hábitos saudáveis, como, por exemplo, combinar datas específicas para encontrar os brasileiros e tentar alterná-las com passeios e encontros com os amigos internacionais, em situações em que você será obrigado a treinar a língua estrangeria. Outra coisa importante é se forçar a conversar em inglês (ou qualquer outro idioma do país) com os brasileiros quando vocês estiverem acompanhados de pessoas de outras nacionalidades. É um tanto rude conversar em uma língua incompreensível para os outros – se você passar por essa situação, vai perceber.

Vantagem: poder falar (um pouquinho) em português

Contrariando um pouco o item anterior: às vezes faz bem falar um pouquinho em português para descansar a mente. Mas, se possível, limite essas conversas.

Com frequência, eu passava os finais de semana todo com as amigas brasileiras e, quando voltava para a casa da minha host family, percebia uma recaída automática na minha proficiência no inglês quando recomeçava a falar no idioma. Por este motivo, é interessante tentar conversar em inglês até mesmo entre vocês, mesmo que estejam apenas em brasileiros. Às vezes é até mais fácil treinar o idioma estrangeiro juntos, porque todo mundo está na mesma situação de aprendizado, e podem se ajudar mutuamente.

Mesmo assim, após passar a semana inteira trabalhando, estudando e convivendo em inglês, falar em português um pouco dava uma pausa gratificante e bem-vinda à mente, porque se comunicar o tempo todo em um idioma estrangeiro cansa, essa é a verdade. Exige bastante da nossa atenção e concentração. Isso, claramente, é extremamente benéfico e um dos motivos de se estudar no exterior. Mas um descanso pode ser bom até mesmo para voltar revigorado para mais uma semana.

Desvantagem: se fechar para novas experiências

Ao se reunir com pessoas que possuem a mesma cultura e costumes, você corre o risco de se fechar a novas experiências de todos os tipos: provar culinárias diferentes, conhecer lugares diferentes, aprender hábitos novos, etc. De que adianta mudar-se de país para continua a frequentar apenas churrascarias e repetir a sua rotina do Brasil?

Uma das maravilhas de estudar no exterior é vivenciar um mundo novo, recheado de novidades, e aprender a se tornar uma pessoa mais tolerante, que não só aceita como valoriza e exalta as diferenças; uma pessoa com experiência de vida, que se abriu a novas oportunidades de se descobrir e reinventar a partir de diferentes visões do mundo. Isso não é lindo?

Assim, mesmo que tenha amizades brasileiras no exterior, atentem-se para não se fecharem em um grupo (uma panelinha, sabe?) inacessível, para não deixar que as oportunidades de aprendizado passem sem serem notadas.

E aí? Quais foram as suas vantagens e desvantagens?

Basicamente, é saber encontrar um meio termo: ter bons amigos brasileiros, mas conseguir aproveitar o multiculturalismo do destino de estudo.